De filho para pai.
16/03/2018 17:48 em Novidades

meu pai é um comunicador nato. quando a gente era criança, ele comprou um estúdio portátil, daqueles que gravava em duas fitas cassete. eu e Flora íamos passar as férias com ele em Juiz de Fora e ficávamos horas brincando de “rádio”, derretendo em gravações, fazendo radionovelas com mil personagens, criando jingles de produtos inventados… era um delírio surreal. além de um inspirado cancionista bissexto, meu pai sempre teve (e ainda tem) uma história radiofônica paralela à "vida normal".a gente morou em cidades diferentes dele quase a vida toda, daí volta e meia chegavam umas cartas do véio em formato fita cassete… com essa estética meio radioarte experimental, umas falas, umas vinhetas com ruídos malucos, tipo copo de requeijão nas cordas da guitarra, e é claro, as clássicas canções-carta do papai, onde ele abordava uns assuntos desde “tô com saudade dos meus filhos queridos” até “jogue lixo no lixo”, "escove os dentes antes de dormir", dentre outros slogans educativos. tinha um hit foda que era “adivinha são eles”, uma batidinha marota #disco na bateria eletrônica e a letra dizendo sobre os nossos telefonemas… “tô sozinho em casa de noite, toca o telefone, adivinha: são eles”.essa vocação de comunicação criativa do véio se manifestou em muitas outras situações vida adentro, e mesmo sem nenhuma formação na área ele chegou inclusive a produzir uns jingles #reais pra alguns #clientes, pelos lugares por onde passou. até hoje lembro do refrão do "táxi do Nilton, cinco cinco meia cinco nove cinco UM!", e várias outras pérolas. malandro & articulado, o véio também conseguiu emplacar seus programas de rádio em algumas emissoras AM & FM de Juiz de Fora (MG), Juara (MT) e Ilhéus (BA), as três cidades onde ele viveu junto com o lado de lá da família, nos últimos anos. rádio social old-school real, conversa com o ouvinte, todo aquele papo.não satisfeito, o véio muito esperto agora entrou na era da internet & resolveu abrir sua própria rádio online. e sem querer puxar a sardinha, devo dizer que sua curadoria musical é fina, um misto de música brazuca das mais variadas golden ages, sambas & boleros emotivos, antiguidades jazzísticas swing-ragtime, jamaica feelings tipo mambos & calypsos, guitarradas nortistas, cancioneiro clássico nordestino, clássicos do rock, hits oitentistas, flashback moments & capturas antenadas com as novidades do agora - pois sim, o véio tá ligadasso nas atualidades musicais e tem opinião sobre tudo que é lançamento que pipoca na laje.
isso tudo pra dizer :: você que tá querendo uma trilha sonora bacana pro seu cotidiano,  tens aí uma dica :: http://radioclubedobau.com/
recomendo!

COMENTÁRIOS